quarta-feira, maio 09, 2007

ABRIGADO

O que me faz sentir as contrações de amar
É o externado amor, batizado assim,
Com este nome.
E não é mulher nem é homem
É uma dor de fazer.
Não é um esforço de expelir,
Nem botar pra dentro,
É um desejo ferido de perpetuar-se
Profundo onde ninguém me ache,
E eu me encontre amando.
Barriga aconchegante,
Ó casa quente,
E o inverno com seus ventos,
Não me balançam os cabelos.
Assim me dou e tenho
Abrigo, luz, e gozo.
E me sinto protegido,
Sendo eu também protetor.
Ó casa aconchegante.
Quando entrei, passante,
Atormentei-me querendo,
O prazer de novo,
Reentrar o ventre,
Puxar-me à delícia
Dos teus caprichos,
Entrar pra morar de novo.

7 comentários:

Simone disse...

Gostaria de ouvir esses belos versos em música...
Lindo e intenso.
Meu beijo admirado,
Si

Flavynha disse...

Nossa que lindo!!!! Vc já me esqueceu é? Não me visita no meu canto novo... estou co saudades das suas palavras...
beijos

david santos disse...

Naeno!
Que hei-de eu dizer?
És espectacular! Tudo o que fazes é belo. Muito belo.
Parabéns.

serenidade disse...

Naeno,
o sentir exposto em palavras de um agradecimento em que os olhares são mais que suficientes.

Lindo

Serenos sorrisos

naenorocha1@hotmail.com disse...

Obrigado Serenidade pelas palavras de incentivo. Sinto serem verdadeiras.

Um beijo
Naeno

Ana Virginia disse...

pudera eu ter essa criatividade toda!

x)
beijo tio naeno!

naenorocha1@hotmail.com disse...

Não me faça sentir-me desencorajado.
Um beijo
Naeno

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping