terça-feira, abril 24, 2007

SINTO

Sinto, e é bom que sinto
Os teus sentidos embaraçados.
Arenga de amor provocado.
Dói, e é bom que doa,
Assim não sinto voar
Para longe de mim este vendaval.
Sinto baterem em minhas costas
E eu vejo um amigo chegando,
Triscando-me pra ver se o olho.
E que se o olhe, talvez o note.
São suas esperanças.
E as minhas, sintomáticas
Que estou sentindo
Que estão doendo.
Lambe-me a face o tenpo visível,
Como um cão que crio
E que me sentiu ausente.
Ah, se o tempo pulasse sobre mim
Para uma luta de contas
E não lograsse o troféu.
Depois comesse em minha mão
Restos de bolachas caídos na mesa.

4 comentários:

João JR disse...

Amigo...só aprendemos a saber viver quando sentimos!Assim, de mts formas e feitios...mas sentimos. E só por isso, vale a pena viver. Depois da tempestade vem calmaria:)) Acredita! Força...estou ctg aqui, sp:)
Com a minha amizade te deixo um grande abraço,
fica bem tá??
Eu sei q vais ficar! Basta acreditares nisso..até sentires:)

Scoya disse...

Por que querias tu isso se aposto que adoras viver?
Viver é sentir e, mesmo que doa, é seguir...em frente...cambaleando ou não...em frente!

Beijinho

Ivan disse...

Eu gostei dos últimos dez posts, que são os que me permiti ler... Minha primeira vez aqui, perdoe-me a invasão. Espero ter permissão para vir mais.

naenorocha1@hotmail.com disse...

Ivan, meu amigo, fique a vontade eu só tenho a te agradecer.

Um abraço
Naeno

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping