sábado, fevereiro 24, 2007

A CIDADE DOS MEUS OLHOS

Já houve um tempo em que da janela,
Eu via uma cidade projetada na calçada,
Um espaço curto e fraterno,
Onde as pessoas se acenavam de perto,
Beijavam-se de perto,
Despediam-se de perto,
E se abraçavam várias vezes no dia.
A janela existe com uma fila de jarros,
Com flores silvestres, tiradas dos beirais das serras.
Meus olhos me arremetem ao tempo da Cidade,
Agora esverdeada em sua base,
E colorida em seu cume.
Mas deu noutro lugar diferente.
As pessoas de dispersaram,
Alguns venderam outros compraram,
Pedaços, vãos inteiros de terras.
E tomaram distância umas das outras
Ainda bem que resistiu o amor.
E elas agora se beijam de longe,
Acenam-se de longe,
Despedem-se de longe,
E quase não se vêem.

5 comentários:

Scoya disse...

Mas se ao longe se vêem, ao perto se tocarão um dia, se unirão e novamente a cidade terá os olhos que brilham no teu rosto, a sede que saceia o teu organismo e o calor das palavras que nos encantam :)

Um beijo atrasado de puxar a pele!!
*****************

Solange disse...

Maravilhoso !!
De um encanto sem fim.

Obrigado pelo beijo lá no Penelope.
Até.

Angélica disse...

Lindo lindo lindo..adorei o post o poema ....e vc tb né? claro..rsrss vim matar a sauddes..deixar um beijo e desejar um otimo domingo ...semana feliz..bjus mil.

Mariliza Silva disse...

Querido Naemo, nossa vida blóguica nos remete a vontade de conhecer novas cidades, novos amigos, novos amores e quisá, novas recordações através dos blogs amigos. Somos extensão do elo do amor, que não se quebra nem na virtualidade.

BEijão e some não

Mariliza

Kah disse...

Lindo!!Eu também queria uma cidade assim!!tenha uma semana linda!Beijo!!

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping