quarta-feira, janeiro 10, 2007

DISTÂNCIA

Por aqui vou, me distancio,
Não pensei nenhum destino
E qualquer parada
Poderá ser a derradeira.
Porque vou levado, vou
Escapando desta cilada,
Preparada pelo amor.

O destino de quem ama,
Quem saberá?
Os braços, a distância,
A cama, se convier,
A calmaria, a paz?
O desassossego, o lastro,
Um nocaute previsível.

Vou por aqui, sem ainda,
Saber se vou ter de chorar,
Se vou querer voltar,
Ou se vou me tratar.
Amar estar acometido,
E ão é de uma doença à toa
É uma doença
De dor, embutida,
Diagnosticável.

2 comentários:

Jana disse...

belos versos

mas fiquei aqui penasando, o destino de quem ama é sempre mais cedo ou mais tarde a dor rs

beijos

Márcia(clarinha) disse...

Estive aqui ontem e admirei essa maravilha que está seu blog, parabéns à você por deixar a Grace fazer suas artes..
Suas poesias são encantadas, gosto demais
linda noite,querido
beijossssssssssss

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping