sexta-feira, janeiro 19, 2007

O AMOR

O amor, esta vontade de sofrimento
Me faz dar voltas no mundo,
E em torno de mim onde roça seu cheiro
E quando eu saio de mim
Num futurismo sem pé nem cabeça,
Dou com os peitos no mar cheio,
De outros, que como eu vem
De suas voltas, já por voltar,
Tempo querem apenas descansar,
Da busca infinda,
Que continua ainda na volta
A volta de fechar.

O amor esta ambição
Que não se toma à força,
Se pede implora, como uma esmola.
Por ele que as nossas pernas roça
Faz a gente dar voltas perdidas,
Se fica tonto e não se tem conseguido
Dele o facho dos olhos,
Uma migalha uma esmola.
E porque ocultar-se
Coisa tão nítida,

Porque não está, de porta batida?

Um comentário:

senhor Raiz disse...

Noemia
Sou eu o Raiz, gostei muito das tuas palavras nao sei quem és mas penso que poderia ser um grande poeta. o meu sonho. so que nao tenho muito tempo para dedicar-me a esta profesia. e também nao tenho computador em casa.
Mas estou muito contente de ler de vez em quando as tuas palavras.

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping