terça-feira, outubro 24, 2006










POESIA

A poesia anda livre entre o que não se vê,
E os poemas são preparados por telepatia,
Num vão de espaço e tempo inexistente.
Galileu sonhou uma poesia,
Santos Dumont fez uma sextilha,
E tantos quanto sonharam, e não souberam
Dia seguinte falar do sonho, só da miragem,
Estavam sendo, pela natureza, em tom igual,
Uma anel de ouro, calças de veludo, a poesia.
A poesia anda presa dentro não se de onde,
Se do peito, do crânio, do coração, e dela se vê
Quando já se estreita e saíra, os versos, as rimas,
O sentido, a ofensa, o perdão; redimido, o poeta.
Que fala por balbuciar, e estar num cio selvagem,
Ou copula ou morre em pleno deserto.
Ou faz ou despovoa o mundo de sua espécie.
Louvado seja o poeta que a tudo isso vê,
De dentro, de fora, e rabisca e apaga, e chora.

naeno:241006

Um comentário:

Sheila disse...

A poesia é assim...não se sabe como nasce, como tmb não sabemos ao certo como a compreendemos tão bem... A poesia simplesmente existe. Bjo e um lindo dia.;)

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping