domingo, outubro 22, 2006



GARGAREJO

Por baixo do organdi armado
da saia da bailarina, sonhos se agitam.
A cada rodopio aplaudem, enlouquecidos,
uns à garça postada, outros a sua calcinha.
Alguns, de longe, metrificam, miram,
e com suas câmeras olympicus,
lançam flashs de amor, ai de mim.
Eu costumo ir aos concertos,
antes do seu começo e fico esperando,
eu sei que no seu arpejo,
de ave, rente ao céu voando.
A bailarina não deixa, alguém
bem de pertinho olhando.
mas eu mesmo disposto ao despejo,
me abstraio no gargarejo,
acima mirando, sonhando
.
Naeno:221006

Um comentário:

Lili disse...

Oi, Naeno! Andei lendo seus poemas e adorei! Obrigada por sua visita!

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping