segunda-feira, dezembro 18, 2006


MEU DIA DE NATAL

Vela branca tão longe, tão distante...
Lá, na curva do mar, quase perdida,
Farrapo de ilusão, lábio ofegante,
Sonho qeu teima em se agarrar à vida.
Meu Dia de Natal! No infindo arquejo
Desta saudade imensa é que eu te vejo.

Ouço bem perto estrídulas cantigas,
Burburinhos de alegres algazarras,
Passa um rancho feliz de raparigas,
Num chilreio de trínulas cigarras.
Meu Dia de Natal! Quanta emoção
Sacode e faz vibrar o meu coração.

A minha igreja, capelhinha pobre,
Tinha na torre, um sino que sorria,
Nunca ouviram funerário dobre....
Era o sino do amor e da alegria.
Meu Dia de Natal! Bem sinto agora
dentro, em meu peito, um um sino plange e chora.

Bailam no azul estrelas pequeninas,
Há ao espaço um fremir de asas inquietas,
Concertam-se no céu vozes divinas
E a terra exulta à glória dos profetas....
Meu dia de Natal! Nasce Jesus
Esta saudade infinda é a minha cruz.

naenorocha

5 comentários:

Mercia disse...

Oi Naeno, vim aqui te visitar... vou salvar o endereco do seu blog pra não perder... muito legais as suas poesias!
um beijo

Mila disse...

Meu outro comentário não apareceu? rs
Q estranho...

Linda essa poesia sobre o Natal (pena q eu não goste de Natal... rs).
E vc tem mesmo a idade do meu pai.

Com certeza voltarei mais vezes. Muitas vezes. E vc, volte sempre tb. Gosto de pessoas sensíveis assim, como vc.
Beijos

mfc disse...

... mas sempre falta mais Alguém à mesa de Natal!!

Tagarela disse...

não gosto de Natal...
acho deveras triste... ¬¬

Arcanjo Poeta disse...

Grande Naeno... publiquei um dos teus poema no meu blog ok... tambem ja linkei teu blog por lá... meu MSN mudou..agora é arcanjo_poeta7@hotmail.com

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping