segunda-feira, dezembro 11, 2006

PRENDA
o perfil da Nathamme

Não sei bordar, nem tricotar,
Muito menos costurar, nem sei tocar,
Não sei cantar, mas tenho cá,
No meu coração a vontade de me doar.

Uma mulher, sou, não diferente em nada,
Das que cosinham, lavam, passam,
E assim passam seus dias, se enfadam,
E que também, como eu têm a vontade,

De se entregarem ao mundo, em suas causas,
De me ver pouco pessoa e mais um instrumento,
Que cava, que busca incansável a paz,
Dos alimentos o que os humildes se resentem,

Não sei costurar, e bem que podia saber,
E ter os elementos próprios de assim fazer,
E construir um saco, maior que já se fez,
E nele deitar a hipocrisia humana, coser,

A boca dos hipócritas que vomitam nada,
As entradas por onde passam covardes,
As saídas por onde vazam as embaixadas,
Que quando vêm deixam mais, alardes,

Que promesas viáveis de um mundo bom.
Deixam aguçados os sentimentos maus,
E se revesam, ora engendrando o caos,
Enterrando os mortos, valendo seus dons.
naenorocha

2 comentários:

Taliesin disse...

Olá meua amigo, como vai, bem interessante esse poemado tricotar, gostari de ter uma criatividade como a sua muito bom mesmo.
queria dizer vi q vc não tem nada aki, possivelmente vc não se interessa, mas eu costumo 1 vez por mes dar um destaque a3 blogs do qual eu visito e vejo q tem alguma coisa q mexa a semsibilidade, e esse mes foi teu blog umdos escolhido.
abraços

Anônimo disse...

Oi Naeno!

Com certeza o seu texto ficou bem melhor que o meu, as suas modifiações foram muito coerentes e poéticas. Copiei e guardei o texto, pode? :)

Obrigada pela singela homenagem... foi isso o que significou para mim. :)

Um beijo, siga sempre com sua poesia!

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping