sexta-feira, novembro 10, 2006


BELA

Ei-la que passa, alegre e descuidosa,
o vestido de neve amarrotando;
e quem sabe? Talvez se vá lembrando
deste qeu a chama, divinal formosa.

E passa, e vai-se pequenina rosa,
entre os que vão e vêm sonhando.
Vendo-a, presumo, ou julgo estar fitando
a sensitiva terna e melindrosa.

Quisera ser a brisa olente e leve,
para roubar-lhe, docemente e breve,
milhões de beijos, numa guerra louca
,

Eu seria feliz mais do que nunca!
- Ditoso aquele que, entre afagos, junca,
de beijos uma tão formosa boca
.
naenorocha

4 comentários:

Daniela Mann disse...

É mais que bela, é belíssima!
-----\\\\|//-------
------( @@)-------
---ooO--(_)--Ooo—
Bom fim-de-semana

Vera Fróes disse...

Gostei muito das suas poesias.
Voltes sempre que quiseres ao Verdes.

Bjos.

Sandra Cardoso disse...

Olá!!

Obrigada pela visita à minha estrelinha e pelas palavras que lá gravaste.

O teu projecto é também muito bonito e tem muita qualidade.

Gostei especialmente desta fotografia e deste poema...

Abraço

(L)oca disse...

esta imagem é muito melhor...
tb não sei como colocar a foto...
muito bonito o poema

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping