quinta-feira, novembro 09, 2006


PENITENTE

Meu coração não espera
o que vem da terra,
o que vem do mar.
Meu coração não quer
velejar tormentas,
terras desbravar.

Meu coração só espera
que melhore o tempo,
que se acalme o mar.
Prá que ele sinta perto,
e esteja, assim, mais certo,
de que um dia ainda
encontrará, meu Portugal.
..................................................
Aos ventos obedeço, reverente,
e dou minh'alma leve, prá que levem,
aos céus, às naus distantes,
à mercê dos anjos,
para assim, me condenarem
no que devem.

Às chuvas o meu olhar entregarei,
e aceitarei o tempo bom de fecndar,
meu ventre ardendo,
o bem que há na terra,
e o sangue dos filhos que vou deixar.
naenorochamusicas/fados

2 comentários:

Marta Matos disse...

Olá Naeno, poemas lindos...cada um melhor que outro...abraço e apareça

(L)oca disse...

...mas que alma lusitana perdida em terras d'alem!

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping