sábado, novembro 25, 2006



É E NÃO

Tudo o que parece ser, não é.
O que não parece ser, é o que é.
Como um mergulho que se faz na alma,
E se volta extasiado, tal um peixe
Que foi além, abaixo de onde não podia,
E retorna a superfície com a s guelras inflamadas,
Que não pode ver e nem trazer nada.
O que é, se toca, se tira e nos toca em suas formas.
Concreta como a vida, que não e abstração da alma,
É um ser que pulsa, e finda aos nosso olhos.
Há uma diferença explícita entre uma árvore,
E sua sombra acolhedora, em pleno ermo,
A árvore, que se toca e se serve do que dá,
Cria a sombra que se vê e se serve
Para o mesmo alívio de nossas aventuras.
A árvore cobre, a sombra acolhe aberta,
Assim as duas, sombra e copa, são

Algo que se toca e se ver, seres despertos
.
naenorocha

3 comentários:

Carolina disse...

Olá Naeno,
gostei de sua reflexão sobre o amor em meu blog, é bom quando as pessoas entram em nossos blogs e expressam as suas opiniões, é como um segundo olhar em nossas poesias. Voltarei mais vezes, bjus

Anônimo disse...

A poesia conseque sintetizar de forma mais harmonisa, o que passaríamos até mais de um dia para falarmos, como um livro, de tantas páginas, demora em construir o seu enredo e o seu final.
Na poeia o começo e o fim estão tão próximos, intercalados de palavras de anjos falando.

Gostei muito do teu amor.

Anônimo disse...

Ah,não me identifiquei, iria ficar sómente como anôinima. Meu nome é Regianne Dourado, sou do Rio e conheci do teu blog através Ideias Despedaçadas, um blog de um grande amigo meu.

Abraços
Reg

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping