domingo, novembro 19, 2006


CÁ DENTRO

Talvez todos tenham razão...
pode ser que em cada ser habite outro
e que ainda podem ser esses, mesmo irmãos,
do mesmo sangue E se nutram de um tirar, e o outro por.
E que tudo issso pode-se ainda ver
não só com os seres, ditos homens.
pode uma flor caber em si, e haver,
dentro, vivendo, do mundo, outro que se some,
Mora no beija-flor outro que prefere,
a rosa como ninfefa e não o cravo,
o outro beija, demoradamente e quer,
o beijo da lua de boca acocidada.
Dentro do coração, um outro pulsa inquieto,
e há no mesmo extremo outro que bate lento,
como pode vir invisível dentro do vento,
um outro que anda puxado mais quieto.
Admito que todos tenham razão,
quando dizem cabem viver em quietude,
dentro de cada coisa outra que não
se distinque, aos olhos nem ao coração.
Pode o mar conter outro igual, oculto
que cujas águs nunca vieram à tona,
e que seu poder é o de puxar as ondas
enquando o que se ver é o absoluto.
Pode habitar uma alma a outra, mais calma e bela,
que quando a vida caminha boa, pode-se dizer: é ela
que vendo a outra ausenta-se, troca,
de lugar, de posto e reina sem ela.
naenorocha

4 comentários:

Ursula disse...

Muito bonito o texto.
Beijos

eduardo disse...

Poema maravilhoso...

cesar disse...

Naeno

O texto é belo, mas a idéia poetica, do que, oculto, habita o meso lugar do outor, é ainda mais bonita

Abraços e boa semana

Anônimo disse...

Tio, o teu blog é lindo. Eu já falei isso, mais não tem jeito de não ser redundante.

Do teu sobrinho,

Marcos

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping