sábado, novembro 04, 2006



AMOR PELAS ROSAS

Ninguém me ensinou, não que me lembre,
A amar as rosas, andar por prados repletos delas,
Apenas lembro que com elas sonhava, sempre,
E me inebriava diante de uma aquarela.
Não me instruíram, nenhum poeta, me disse,
Que as flores são eternas, e ternas musas,
Mas como sempre tive esta alma triste,
Me detive o tempo todo a elas amando,
Não de uma rosa distante, que aos olhos dista,
O que eu buscava, era um repleto campo.
Não me falaram da original beleza que uma rosa tem,
Eu, é que pelo cheiro e pela cor as busquei,
E desde então, de forma alucinada a elas se detém,
Meu olhar caçador, meus sentidos todos, que sei,
Aguçados, nelas vêm e sentem tudo o que têm.
Pra quem não viu, acredito que ninguém, não
Uma rosa se abrindo, de noite para a manhã,
achará que a vida pode ser assim, que uma solidão,
Pode se acabar, no mesmo tempo da rosa, antes botão.

naenorocha____________________________________________________________________

Um comentário:

ciganaglobetrotter disse...

Obrigada pela sua visita.Vim , deixei comentário e dar erro.Nao sie por quê.Espero que agora vc receba.E veja que vim te visitar.Adorei seus textos...Beijcoas

TERESINA

Sign by Dealighted - Coupons & Discount Shopping